Você está aqui > Home > Bons Relatos > Praticar a Gratidão aumenta a longevidade, com qualidade!

18

set

2017

Praticar a Gratidão aumenta a longevidade, com qualidade!

A ciência constatou que praticar a Gratidão pode aumentar a duração da vida, e o melhor de tudo, com QUALIDADE!

Antes, o que era considerado por muitos, como fator não determinante para nossa sobrevivência e existência, ou ainda, que era apenas uma questão de crença, agora é confirmado e estudado por grandes nomes da medicina e instituições renomadas, como Harvad. Seres humanos gratos, adoecem menos, vivem melhor, são mais felizes e contribuem para o bem estar do planeta. 

Eu, como uma boa “Poliana“- no meu jeito de ser – desde criança, estou em êxtase. Por isso resolvi dedicar o post de hoje sobre o novo programa de rádio “Saúde de Corpo e Alma” (A junção da Ciência e da Crença), da jornalista Mariana Ferrão, quem eu admiro muito. 

O programa é transmitido aos sábados, às 7h, pela Rádio Globo. Você pode assistir a qualquer hora do dia, pelo site que eu deixei linkado ou através do aplicativo. Importante dizer para vocês que, esse post não é uma campanha publicitária, mas sim, um caminho para o aprendizado de como podemos nos tornar seres humanos melhores com a gente mesmo e consequentemente com TODOS que convivem ao redor: marido, filhos, família, amigos, colegas de trabalho, vizinhos, subordinados, ou seja, com o MUNDO todo!

Abaixo, alguns trechos do programa do dia 04 de Setembro (dia do lançamento), onde o assunto foi GRATIDÃO.

O Dr. Alvaro Avezum diz que: “O pontapé inicial de qualquer doença pode estar no plano mental e emocional. Portanto a maneira como a gente enfrenta nosso dia a dia, pode ser um problema ou uma solução para nossa saúde.”

A Ciência constatou que o mau pensar, o mau sentir, enfrentar de maneira desajustada aquilo que chega até nós, pode ser a causa do adoecimento.

Hoje, existem questionários validados cientificamente para avaliar: propensão para perdoar, Otimismo, Gratidão, Stress, Depressão e Espiritualidade/Religiosidade.

Através do “cruzamento desses resultados” pode-se constatar que, seres humanos que agradecem mais (que são mais gratos), têm 25% menos chance de desenvolver doenças cardiovasculares, câncer e acidente vascular cerebral. Para a ciência, e pra mim, é uma porcentagem que merece ser considerada.

Existe também uma relação muito grande entre OTIMISMO e GRATIDÃO. Pessoas gratas, geralmente, são mais otimistas.

Por que ser grato? Por quem? Por qual motivo?

Gratidão à vida, por acordar, respirar e ter saúde.

Gratidão pelas pessoas.

Gratidão a Deus, o ser maior que rege o universo.

O ser humano grato, sabe tolerar melhor as adversidades da vida, tem mais atitudes do bem, perdoa com mais facilidade e tem compaixão (por si e pelos os outros).

Na contramão, quem é ingrato vive magoado (consigo e com os outros), tem atitudes de ressentimento, raiva e ódio. Nesse cenário, os indivíduos tem mais propensão para desenvolver diabetes e insuficiência cardíaca.

Agora, do ponto de vista “espiritual/crença”, o mestre Sri Prem Baba diz que: “Somos abastecidos o tempo todo com tudo pela natureza. A natureza, em si, nos inspira a ser grato. Quando conseguirmos compreender o valor da Gratidão, nos  tornaremos imunes à doenças e todo tipo de sofrimento desnecessário.”

Uma das perguntas, da apresentadora Mariana Ferrão, e de muitos de nós, foi a seguinte: “Como encontrar gratidão em tempos tão difíceis?”

Sri Prem Baba respondeu: “A Chave do “segredo”, está na forma que enxergamos os desafios. Temos a OPORTUNIDADE de escolher encararmos esses desafios como algo que está CONTRA NÓS ou como OPORTUNIDADES DE CRESCIMENTO.”

O mestre espiritual enfatizou que, para se aproximar da Gratidão é preciso estar e harmonia com sua própria história. E que, a ingratidão se manifesta quando o ser humano está preso num JOGO DE ACUSAÇÕES nas diferentes áreas da vida. Por exemplo, na área profissional, na área financeira, nas relações afetivas, sexual, relação com seu próprio corpo, com a família, com os amigos ou com a espiritualidade.

Quanto maior a insatisfação, maior é o jogo de acusações. Mais distante a pessoa está de se responsabilizar por essa situação negativa que está se repetindo em sua vida. Maior está o grau de fechamento do coração. Maior é a guerra interior. Tudo isso ocorre, porque existe um núcleo de dores que ela ainda não teve acesso a chance de lidar. Como os traumas, bullying, choque de humilhação, rejeição, exclusão, abandono, etc.

Provavelmente, muitos de vocês já “sabem” dessas coisas. Eu me lembro de ouvir minha avó materna dizer: “Quem reclama e só chora, vive menos.”

Ela, que graças a Deus ainda está viva – saudável e super lúcida –  com 89 anos é, pra mim, um grande exemplo de uma pessoa grata!

A grande questão é, como de fato saber se estamos praticando a Gratidão?

Segundo os “especialistas” é simples: basta avaliarmos nossa saúde, nosso convívio social e com a gente mesmo.

A observação pode até ser simples mas, as respostas podem não ser…

Caso você esteja, nesse momento, pensando em modificar/transformar o cenário que está vivendo, foi sugerido um exercício para se aproximar da Gratidão:

– Procure se lembrar da sua MÃE e veja se você pode/consegue dizer, olhando nos olhos dela (mesmo que ela esteja em outro plano), de verdade, do fundo do seu coração: “MUITO OBRIGADA POR ABSOLUTAMENTE TUDO.” Faça o mesmo com seu PAI, IRMÃOS, com TODOS aqueles que fizeram parte da sua infância e veja se a Gratidão flui.

Se não fluir, então você está iniciando uma jornada de cura e transformação. Vá atrás para entender o porquê que você não consegue ser grato.

Você vai precisar enfrentar seus ressentimentos, suas mágoas, entrar em contato com os conteúdos que estão dentro de você que, ainda não foram tratados. Ou seja, você tem contas abertas com sua história.

É “aí” que está a raiz da ingratidão, da reclamação, da ideia de vítima, do jogo de acusações e das repetições negativas que se manifestam em sua vida. A sensação de estar caindo no mesmo buraco!

E onde encontrar essa ajuda?

O Dr Alvaro Avezum diz que, hoje a ciência conseguiu comprovar que existe quatro opções,  vai depender de indivíduo para indivíduo, considerando a história de vida e oportunidades de cada um, que não existe certo e o errado, mas sim o equilíbrio na forma de como esses pilares estão sendo utilizados.

Então, anote aí e encontre você mesmo o caminho, a luz para te tirar do “buraco” da ingratidão. Que pode ser, através da Terapia (desenvolver o autoconhecimento), Atividade Física (aumentar o número de hormônios que proporcionam o bem estar), a Religião (a Fé que “move montanhas) e o Remédio (a medicina tradicional) por um determinado período de tempo.

Lembre-se que você tem a opção de ESCOLHER ser grato. Use e abuse dessa palavra: GRATIDÃO, mesmo diante das coisas simples da vida.

Escutem o programa, é apenas uma vez por semana. Faça dessa uma hora semanal, o seu momento de aprendizado, pra mim está valendo como um curso.

Um beijo e uma ótima semana.

 

2 Comentários

Deixe uma resposta para fernanda conink Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *