Você está aqui > Home > Bons Relatos > Mamãe vai viajar: dicas de como se ausentar sem a criança sofrer!

14

out

2014

yes, no, maybe

Mamãe vai viajar: dicas de como se ausentar sem a criança sofrer!

Mamães….

Eu, Euzinha, Myself and I – Elaine Violini rsrsrsr, pedi, carinhosamente :-) para a psicóloga Lizandra Arita, que atua com treinamento em autoconhecimento há 16 anos e é Master Practitioner em Programação Neurolinguística um texto, com um olhar profissional, sobre viajar sem a (s) criança (s).

E olhem que interessante e importante a opinião da Dra Lizandra, e também as dicas sugeridas, para amenizar a saudade:

“Por mais ou menos apegada que uma criança seja aos pais, no momento de um afastamento temporário, como uma viagem, pode ser que a ela sinta alguma sensação negativa. Nós, adultos, conseguimos englobar tudo dentro da saudade. Uns sentem a saudade como algo bom e gostoso, uma lembrança de algo bom que viveu. Já outros não lidam bem com este sentimento, pois ele remete sempre à falta.

Entretanto, para a criança, que ainda não tem a linguagem definida e, desta forma, não consegue denominar aquilo que sente, muito menos entender de forma consciente e racional o que acontece, pode ser que ela experimente sentimentos mais profundos. Rejeição e abandono são os principais.

Lizandra, explica que um bebê, quando afastado de sua mãe, mesmo que por poucas horas ou nem isso, pode registrar em seu inconsciente que ela o abandonou. O pensamento é lógico para uma psiquê ainda não madura: “minha mãe sumiu, não está aqui, foi embora, me deixou”.

Por isso, no momento em que os pais precisam viajar e não podem levar os filhos, Lizandra aconselha que algumas medidas simples e fáceis de fazer, sejam tomadas, a fim de minimizar as sensações ruins:

 - Converse com a criança

Conversar com a criança, principalmente a nível inconsciente, é a primeira atitude a ser tomada. Alguns dias antes da viagem, no momento em que seu filho estiver dormindo, logo nos primeiros minutos, fale em seu ouvido que você vai viajar, que ficará ausente por alguns dias e que ele não poderá ir junto. Explique que você não está abandonando-o e que uma pessoa ficará cuidando dele até a mamãe voltar. Pode parecer não funcionar, já que a criança teoricamente não entende, sobretudo os bebês. Entretanto, tudo o que é falado para um ser, mesmo os que ainda estão dentro do ventre materno, fica registrado em seu inconsciente. No momento em que tiverem a linguagem definida, por volta dos 3 anos, esse diálogo fará sentido em sua mente e ele se lembrará de tudo o que foi dito.

- Escolha um cuidador amoroso e acolhedor

A mãe é a principal referência de amor, segurança e cuidado para um filho, não importa a idade. Principalmente, quando ele é bebê, que inclusive até certa idade nem consegue discernir que ele não faz parte do corpo da mãe. Para um pequeno de poucos meses ele e a mãe são a mesma coisa. Justamente por isso, a separação da mãe é algo muito incômodo. Dessa forma, encontrar um cuidador amoroso e acolhedor é fundamental para que esse afastamento seja o menos traumático possível. A criança precisa sentir que tem alguém ali por ela, fazendo o papel da mãe e/ou do pai.

- Marque o tempo com algo concreto

Crianças não têm a menor noção do tempo. Só depois dos 8 ou 9 anos é que elas começam a entender a cronologia. Por isso, alguns dias longe da mãe podem parecer a eternidade. E não saber mensurar o tempo que demora pra mãe retornar causa grande insegurança e ansiedade, que pode fortalecer a sensação de abandono. Uma dica preciosa é deixar para a criança uma cartela com o número certo de adesivos, correspondentes à quantidade de dias que estará viajando. A cada dia longe da mãe ela vai colando um adesivo e quando chegar no último, que é o mais bonito ou o maior, é o dia que mamãe chegará. A mesma coisa pode ser feita com balas ou chocolates, para os pais que permitem doce na alimentação dos filhos. Essa é uma forma de concretizar o tempo na cabeça ainda não lógica da criança e lhe dar segurança, pois algo material – e portanto real para a criança – lhe garante que a mamãe voltará.”

Gostaram? Eu adorei.

Segui as duas primeiras dicas, a terceira não, porque a Valentina ainda está muito pequena.

Não deixem de deixar sua opinião e sugestões para futuros posts.

Um bom beijo e até o próximo post

muahhhh

1 Comentários

  1. Lucimeire disse:

    Boa noite!
    Meu Pietro está com quase 3 meses e vou prescisa se ausenta por um dia…estou com coração partido..ele mama em mim e mamadeira..mas mesmo assim estou anciosa em deixo-Lo.Será que as dicas acima dara certo no meu caso.??

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>