Você está aqui > Home > Boas Viagens > Chá de bênçãos

29

nov

2017

Chá de bênçãos

Se tem algo que acredito ser maravilhoso nas redes sociais é o poder que elas têm de nos apresentar a pessoas de bem e a descobrir coisas inspiradoras. Assim foi com meu Chá de Bênçãos.

Fui apresentada à minha doula, a Cacau, que, por sua vez, me falou sobre as maravilhas do ritual. Bem, quem me acompanha aqui há mais tempo sabe o processo transformador pelo qual tenho passado desde julho de 2016. Falei um pouco sobre ele quando contei da minha trajetória com o coaching.

Também sempre digo que cada gestação é única e cada filho é um ser individual e diferente dos outros. A espera pelo Vittorio foi acompanhada de muito mal estar nos primeiros meses, a descoberta do sexo antes do nascimento e alguns detalhes que ainda não tinha vivenciado – como ter as roupinhas do bebê bordadas com o  nome!

Por todos esses motivos, decidi que queria passar pela experiência de ter um Chá de Bênçãos também. A Cacau preparou absolutamente tudo! Eu não sabia de nada: apenas do dia em que seria o encontro, o horário e quem iria na minha casa.

Sobre as pessoas: é para ser um momento intimista e carregado de emoção. Por isso, o aconselhado é que a gestante escolha mulheres com as quais tenha vínculos fortes. A máxima é pouca gente e muito amor.

Vocês lembram que no começo do ano recomendei que assistissem o documentário The Red Tent? É um filme que celebra muito a união do feminino, a sororidade… E foi justamente esses valores que o Chá me trouxe.

A sensação foi como se estivesse flutuando – minha mente fez uma viagem, resgatou histórias e sentimentos que estavam lá atrás.

O Chá é dividido em duas etapas: a primeira, em que todos se sentam em círculo e a gestante recebe uma escalda nos pés. Enquanto isso, as convidadas proferem palavras lindas e entregam algumas surpresas (que não vou dizer quais são para não estragar o momento de mamães que passarão por isso futuramente).

Depois, somos convidadas a celebrar de outra forma: em uma refeição. Resgatando a parte afetiva da comida. A mesa também é montada pelas convidadas como forma de cuidado e carinho. E comemos, compartilhamos, nos unimos.

Junto das mulheres mais importantes e especiais da minha vida, consegui sentir todo o amor que me foi dado. Como disse lá no Instagram: ver, ouvir e sentir o amor da minha irmã foi extremamente marcante e fortalecedor. Ter a certeza que não precisamos de muitos amigos, mas cuidar dos poucos que temos faz tudo valer a pena!

Foi uma tarde intensa. Emoção demais, vínculos demais, força demais, carinho demais, amor demais. Transbordou, transbordei, transbordamos. Todas juntas.

Posso afirmar que o Chá de Bebê e o Chá de Bênçãos são coisas totalmente diferentes, com propósitos distintos.

Esse é um ritual antigo, embora muitas pessoas nunca tenha ouvido falar sobre ele. A revista Crescer fez uma matéria contando um pouco mais sobre a tradição, vale a pena ler para quem quiser conhecer mais sobre o assunto.

Agora, sim, posso dizer: vem, Vittorio. Estou pronta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *